Mensagem do Delegado Regional de Educação do Norte

 

No arranque do ano letivo 2013/2014, inicio por agradecer a todos os agentes e parceiros o esforço e dedicação que colocaram na preparação do mesmo, ciente de que os desafios colocados são imensos, de índole vária e diversa, mas sempre norteados pela melhoria do serviço público de educação, da sua sustentabilidade presente e futura, e pela missão de criar as melhores condições para que cada discente, criança ou jovem, alicerce o respetivo projeto de vida na escola, ancorado pelo conhecimento e pela ciência, por valores e princípios que favoreçam o percurso escolar de sucesso, a formação de bons cidadãos e de bons profissionais.

O país acredita na escola e nos seus agentes diretos, de todos esperando os melhores resultados, porquanto as exigências do mundo hodierno, globalizado e “plano”, reclamam competências, conhecimento, integridade e trabalho, base da superação.

O contexto nacional, por todos sentido e conhecido, com reflexos na organização escolar, tem sido de exigência para a comunidade escolar na defesa da “res publica” com vista ao futuro sustentável, mais justo e solidário. Não só cabe reconhecer o elevado sentido de responsabilidade dos órgãos de direção e de administração escolar mas também reconhecer o desempenho das escolas, que são, por excelência, a instituição de educação onde o ensinar e o ajudar a aprender auxiliam a edificar sólidos projetos de vida pessoal e a melhoria da vida coletiva.

O essencial deve ter primado em todas as ações sobre o acessório, e é essencial focar a ação em aprendizagens significativas e estruturantes; é essencial interagir com os alunos com alma, esse ânimo que move vontades e desperta interesse, acicata a curiosidade e espalha o respeito pelo trabalho do outro.

Estou certo que, na escola, a cada dia, os agentes da educação e do ensino sentem a responsabilidade de educar, a responsabilidade de poder contribuir para o futuro de cada criança ou jovem. Cada Professor é um arquiteto que cria, e ampara na construção, sobre as bases do presente, o futuro do país. Por isso, vale a pena relevar o essencial da profissão no contexto do país.

Aos alunos apelo a que acreditem neles próprios, que são agentes de mudança, centro do processo, capazes de intervir e de mudar, com trabalho, disciplina e persistência, pois, na heterogeneidade, na diferença, todos somos capazes de mais e de melhor, todos temos dificuldades mais ou menos especiais, todos temos necessidades educativas que podemos superar. O imediato em educação não existe, mas, se orientados e metódicos, com objetivos e vontade de vencer e ir mais além, o futuro promete, e porque assim é, quotidianamente, deve cada um ter presente que está a construir o seu futuro de vida, esse que nunca pode ser desconsiderado e ou abandonado. É com este propósito que toda a ação da Direção de Serviços da Região Norte da DGEstE se desenvolve na prestação de serviço público de educação.

Aristides Sousa
Delegado Regional de Educação da Região Norte